Babaçu (Orbygnia spp)

APRESENTAÇÃO DA CULTURA

O babaçu é uma palmeira nativa do Brasil. Esta planta tem grande importância sócio-econômica e ambiental nos estados do norte e nordeste do Brasil. Os produtos oriundos do babaçu são utilizados principalmente na alimentação, vestuário e geração de combustíveis alternativos. O babaçu é considerado como promissora fonte de energia renovável (produção de óleo e casca para queima). Entretanto, sua exploração econômica até o momento se restringe ao extrativismo, o qual apresenta baixa capacidade produtiva.

BOTÂNICA

O babaçu pode atingir até 20 m de altura. Seu estipe caracteriza-se apresentar restos das folhas velhas que já caíram em seu ápice, semelhantemente ao que se encontra em alguns ecotipos de macaúba. Suas folhas são arqueadas e podem atingir até 8 metros de comprimento. Os fruto são ovais, a polpa é farinácea e o endocarpo é espesso e rígido, contendo em seu interior cerca de 3 a 6 amêndoas com alto teor de óleo.

SISTEMAS DE CULTIVO

O babaçu é explorado principalmente no sistema extrativista. Até o momento, não existem sistemas de cultivo definido para a produção comercial do babaçu.

INDUSTRIALIZAÇÃO E PRODUTOS DO BABAÇU

O principal produto fornecido pelo babaçu é o óleo extraído de sua amêndoa. Este óleo é utilizado na indústria alimentícia e farmacêutica (sabonetes, cosméticos, margarina, gorduras especiais e óleo de cozinha). A polpa do babaçu é utilizada na fabricação de farinha e de bebidas fermentadas, muito utilizadas na culinária das regiões produtoras. O endocarpo, pode ser utilizado in natura ou carbonizado para produção de energia.

 

Parceiros

 1  2  3  5  6  7  8 9

Equipe de Desenvolvimento Web/UFV - 2014 - Mantido com Wordpress